Notícias Fecomercio

26 de setembro de 2017

Varejo paulista abre 6.205 postos de trabalho em julho


Segundo pesquisa da Entidade, esse é o melhor desempenho para o mês desde 2012

O comércio varejista no Estado de São Paulo voltou a criar empregos formais após dois meses seguidos de desempenho negativo. Em julho, foram abertos 6.205 postos de trabalho, resultado de 68.338 admissões contra 62.133 desligamentos.

Esse foi o maior saldo de empregos desde novembro do ano passado - mês caracterizado pela contratação de temporários - e apenas a segunda vez no ano em que o setor registrou mais admissões que desligamentos.  O varejo paulista encerrou o mês de julho com um estoque ativo de 2.058.431 trabalhos formais, uma leve queda de 0,3% na comparação com o mesmo mês de 2016.

Para o acumulado dos últimos 12 meses, foram extintos 5.397 empregos com carteira assinada, mas inferior ao verificado no mesmo período de 2016, quando foram extintos 69.407 vínculos formais. Os dados são da Pesquisa de Emprego no Comércio Varejista do Estado de São Paulo (PESP), realizada mensalmente pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) com base nos dados do Ministério do Trabalho, por meio do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e o impacto do seu resultado no estoque estabelecido de trabalhadores no Estado de São Paulo, calculado com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Das nove atividades pesquisadas, apenas três apontaram crescimento no número total de empregos em julho na comparação com o mesmo mês de 2016: farmácias e perfumarias (2,5%); supermercados (1,7%); e autopeças e acessórios (0,5%). Por outro lado, os piores desempenhos foram registrados nos segmentos de concessionárias de veículos (-3,5%); lojas de vestuário, tecidos e calçados (-2,5%); e materiais de construção (-2,4%). Confira a matéria completa aqui.

Voltar para Notícias